Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lua Vermelha

Sugestão de 2ª e 3ª temporada por Cláudia Silva. Tipo Fanfiction.

A Minha Lua Vermelha: uma história por detrás da fanfic

mw-1600 (23).jpg

A Minha Lua Vermelha: uma história por detrás da fanfic

Estávamos em 2012, o fim da série juvenil em que a televisão mais investiu criatividade em Portugal, ameaçava terminar. Sim, Lua Vermelha foi e será sempre icónica, pois marcará a história da televisão portuguesa pela quantidade de coisas que nunca tinham sido feitas antes. Portugal amou tanto Lua Vermelha e os seus vampiros, quanto pareceu querer livrar-se da febre que eles causavam. Se Lua Vermelha tivesse sido seguida naturalmente, teria começado e acabado em 2010, e talvez aí sim, houvesse espaço para uma verdadeira 2ªtemporada na SIC. Mas não, a série que tanto foi amada, foi condenada por esse mesmo amor. Lua Vermelha foi vítima da própria glória. Mudanças de horários constantes e a perda de seguidores que se sentiram desprezados, fez com que a produção se estendesse até 2012 com míseros episódios de 25 minutos, por vezes. É triste. Os poucos que ainda viviam o espírito, detinham-se entre a alegria de ter Lua Vermelha por 2 anos, e a tristeza de a ver morrer em sofrimento.

Mas, como eu ia a dizer, estávamos em 2012, e existia um blog maravilhoso chamado Movimento Lua Vermelha. Esse blog, de fãs para fãs, lançou o desafio: criar uma 2ªtemporada fanfic e tentar salvar a história. Vários fãs aderiram. É isso mesmo de que se trata a fanfic, é uma adaptação da história que já existe, pelos fãs. E eu fui um desses fãs. Ainda pouco ou nada sabia escrever na altura, mas gostava de o fazer e sentia que devia contribuir para a história não acabar. Passados uns meses, o blog Movimento Lua Vermelha encerrou, e eu e outra fã, continuámos a escrever independentes dele, criando o nosso próprio cantinho online. Até hoje, apenas o meu persiste. Escrevi uma 2ªtemporada com 200 episódios, uns melhores que outros, com muito amor e pouco profissionalismo, com dedicação e o tempo que conseguia dispor. Eu tinha 15 anos apenas quando comecei, e ninguém, amigos e família, sabia no que eu me estava a meter. Fui criticada na internet, insultada até – esses anónimos! -, mas os que me apoiaram foram mais e mais importantes e têm até hoje o meu carinho. Foram esses que, depois da loucura que foi a 2ªtemporada me encorajaram a arriscar na 3ªtemporada, ainda por terminar. Melhor preparada, mas ainda assim claramente amadora, e infelizmente um pouco vítima da minha vida privada inconsequente.

Venho aqui para vos contar como foi a jornada da minha Lua Vermelha, e para partilhar convosco o motivo pelo qual actualmente só publico uma vez por mês, mais coisa menos coisa.

Hoje tenho 19 anos, e a história começa assim… Uma adolescente com 18 anos, eu, percebeu que não era feliz, não sabia que rumo de vida tomar, nem o que fazer dela. A única coisa em que tinha sucesso era a estudar, mas não queria continuar a estudar enquanto a juventude se perdia nas páginas de livros que já não lhe ensinavam absolutamente nada de útil, apenas mais cultura geral e inteligência que só serviu para questionar a vida inconsequentemente.

O que eu precisava era de viver mais, e estudar menos. Sempre fui aquilo a que se chama uma “betinha”, com excelentes notas e bom comportamento, e uma necessidade fora do vulgar de agradar aos outros. E foi tudo isto que me destruiu, principalmente esta última necessidade. Que fique claro, primeiro, que eu adoro ler e aprender, mas nunca gostei da escola, embora lhe reconheça valor. Depois os problemas que tive em casa, fizeram-me viver dias em que, se de manhã não queria ir à escola, à tarde não queria voltar para casa. E os meus amigos da época até hoje não sabem de nada, talvez não tenham tido culpa de achar que só eles tinham problemas, e ignorar que todos os têm. Talvez a culpa tenha sido mesmo minha, por me entregar a tudo isso, e ser a heroína cuja alma chorava e os olhos sorriam para dar conforto aos outros.

Foi assim, até que se chegou o momento de ir para a Universidade. Todos vão, hoje em dia! E eu que desde o meu 10º ano dizia que tinha muito tempo para pensar no que seguir, bati de cabeça nesse momento que chegou demasiado depressa. Na verdade, chegou na devida altura, mas é imposto da forma errada. O que eu sempre quis era simples: ser artista. Mas nem professores, nem colegas me incentivavam, diziam que eu era louca, que devia estudar para ter um plano B. E em casa eu tinha vergonha de dizer: “Mãe, pai, quero ser artista, de palco e de tela”. Não me perguntem porquê, eu era simplesmente insegura, nunca vivi nos holofotes de ninguém, e ainda assim fui tomada por arrogante e cheia de sorte muitas vezes, ainda sou. Disse a toda a gente que ficaria um ano sem estudar para pensar bem e organizar a minha vida. Isso aceitaram melhor, do que a ideia de não ir para a Universidade. Porque hoje em dia, num país escolarizado, em que a escola obrigatória é o 12º, não ir para a Universidade, é um escândalo! - Até parece que já se esqueceram do tempo em que o 9ºano era suficiente, e pior, do tempo em que o 4ºano já era bom! – Continuando…. Eu vivi um ano a tentar entender as coisas, quanto mais pensava, mais certezas tinha, e tentei explicar-me, tentei avisar as pessoas, mas passado todo esse tempo apenas me parece que fiquei a dever alguma promessa que não fiz. Os meus pais foram os únicos que acompanharam o processo, nunca me julgaram e dão-me a oportunidade que eles não tiveram: de escolher. E alguma da família mais próxima também. Amigos? Tenho poucos, e nenhum é o melhor, já não acredito em melhores ou piores. Ou se é, ou não é. E os que eu escolho hoje são os que me respeitam e não me questionam com gozo na língua.

Isto tudo para vos dizer que a infelicidade, e a indecisão, me deixaram sem palavras. Durante muitos meses, e até hoje, sinto dificuldade em fazer coisas que antes amava fazer e fazia espontaneamente. E ainda amo. Senti que a minha criatividade se foi embora, e retorna agora aos poucos, com muito esforço e dedicação. Esses, que foram os responsáveis por, pelo menos uma vez por mês, abrir o blog da fanfic de Lua Vermelha e dar-vos um pouco de mim.

E no fim eu peço-vos desculpa se não correspondi às expectativas. E deixo-vos um agradecimento eterno por me fazerem sentir que de algum modo sou especial e me obrigarem inconscientemente a ter coragem de escrever. Obrigado.

E é disso mesmo que tudo se trata! De coragem! Decidi não ir para a Universidade, porque essa ainda não é escola obrigatória e porque não somos obrigados. Queridos, a partir do momento em que são maiores de idade, não se esqueçam que podem fazer as vossas próprias escolhas. Respeitem quem vos aconselha, ignorem quem vos goza e vos transmite pessimismo, e acima de tudo, sigam o vosso coração. Eu tomei as rédeas da aventura, e hoje digo a toda a gente quem sou: Sou Artista! Pintora a tempo inteiro, autodidacta, empreendedora do meu próprio negócio artístico, recebo encomendas e planeio uma colecção. Com dificuldades sim, mas ninguém alcança o sucesso de um dia para o outro. Continuo ligada ao Teatro. E eu sei que um dia tudo será mais fácil e recompensador. Porque se nós acreditarmos e formos dedicados, não é um diploma que nos garante sucesso, ou que nos faz melhores que os outros e com mais direitos.

A escola é importante, sem dúvida, e graças aos nossos antecessores que hoje todos têm o direito a frequentá-la. A Universidade é também importante, sim! Mas não é tudo! E se pensarmos um bocadinho, não estarão as nossas crianças a passar demasiado tempo sentadas, a ouvir uma pessoa durante horas, e a serem impedidas de brincar, mesmo quando chegam a casa, porque já não bastou um dia de aulas para ainda terem trabalho para fazer em casa? Se me deixarem também serei uma activista nesta área. A escola ensina o ideal “Mente sã, em corpo são!”, mas não o coloca em prática, e as crianças estão a ficar…. Totós! E quando crescem, e se tornam pessoas adultas são incapazes de pensar sozinhas, e de ter vontade própria. Falo em parte por mim. Foi assim que me senti, e às vezes ainda sinto.

E peço-vos, não enquanto escritora de uma fanfic que lêem na internet, mas enquanto amiga, se isso for possível, que sigam os vossos sonhos! Eles não são impossíveis.

Para terminar, anuncio que não seguirei em frente com uma 4ªtemporada para a Lua Vermelha. Prefiro terminar com a dignidade que ainda tenho, do que arriscar em desiludir. Eu respeito muito quem me segue.

Mas!, não pretendo deixar de escrever. O blog luaverm2temporada.blogs.sapo.pt continuará online, assim como o site luavermelha.ga e o facebook da Fanfic. Irei preenchê-los com novidades dos actores, e memórias da série. E um dia, quem sabe, retornarei com uma história completamente minha, e anunciarei através dos mesmos.

Fiquem bem e sigam a 3ªtemporada, com 90 episódios, até que termine, prometo fazer valer a pena. Caso pretendam, façam download gratuito de todos os documentos PDF com as temporadas completas que escrevi, é um presente meu, e que está no menu deste blog, nos separadores 2ªtemporada e 3ªtemporada.

 

Eternamente grata,

 

Cláudia Silva

2 comentários

Comentar Post

Pesquisa Aqui

 

Sinopse

Era uma vez um colégio cravado no coração da serra de Sintra. Entre mistérios e perigos, o regresso de uma antiga guerra e uma vida aparentemente normal de adolescentes, um vampiro com 186 anos apaixonou-se por uma humana de 17 que, apenas (e só por acaso!) é filha do mais temido caçador de vampiros de sempre, "Jaguar". Ora! Este é só o excêntrico início de todos os problemas que farão a vida valer a pena...! Deixas-te morder?!

Aviso

Todos os textos publicados neste blog são apenas uma sugestão de continuação da série de vampiros da SIC, "Lua Vermelha", ou forma de a recordar. No fundo, pretendo simplesmente homenagear a história, dando-lhe o seguimento que imagino/desejo que tivesse. Não tenho qualquer intenção de plágio, não o considero como tal, e por isso agradeço o respeito e a preservação dos direitos de autor. Afinal, isto é paixão, mas dá trabalho :D

O Blog

Nasceu em 2012, com uma sugestão (pouco profissional...:D) de 2ªtemporada para "Lua Vermelha", que teve o seu fim oficial no mesmo ano. Entretanto, por gosto da autora (Cláudia Silva) e apoio dos leitores, o Blog chegou à 3ªtemporada (melhor preparada do que a primeira...:D), havendo ainda espaço para posts de homenagem à obra de ficção e aos atores, intitulados "VIDA DE VAMP", "VampAtual" e, mais recentemente, "MEMÓRIASdeVAMPIRO". Tudo o que foi publicado anteriormente, continua online.

Respeito

Gostaria de alertar todos os leitores/seguidores do blog para a prática do respeito entre todos, para comigo (autora) e para com os criadores/produtores e atores de "Lua Vermelha". Infelizmente, comentários desagradáveis e ofensivos já foram deixados por alguns "anónimos", o que me levou à decisão de moderar a liberdade para comentar, sendo que as vossas opiniões precisam da minha permissão para serem publicadas no blog. Apenas exijo respeito! Se forem respeitáveis com as palavras, o vosso comentário aparecerá na página, garanto! Obrigado!

As Imagens

Afim de evitar algum tipo de constrangimento, creio ser importante referir que, originalmente, as imagens que utilizo no blog, referentes a "Lua Vermelha", não são de minha autoria. Os direitos pertencem à SIC, à SP Televisão, ao fotógrafo José Pinto Ribeiro... e avisem-me caso falte alguém! :D Contudo, saibam que não publico qualquer imagem sem a editar/modificar primeiro, tornando-os algo minhas e do blog. Espero que respeitem e, claro!, apreciem!

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D