Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Lua Vermelha

Sugestão de 2ª e 3ª temporada por Cláudia Silva. Tipo Fanfiction.

Lua Vermelha – 3ªtemporada - Episódio 52 – “Amor e Consequências”

boaLeitura2015afonsoVAMPIROluavermelha3

 Continuação…

 

Eternidade, essa, que está apenas a começar.

 

- Those human lifes also didn’t belonged to you… - responde o vampiro, com todo o ódio que há em si. - ...and you threw them away as if they did! – termina, num grito gutural, enterrando o punhal ainda mais fundo no peito de Afonso.

 

É inevitável. Lágrimas começam a descer pela sua face pálida e as imagens que pensava ter guardado numa memória profunda e intocável, invadem-lhe a mente por completo e tomam controlo de si. Afonso apercebe-se agora do quão teme Joseph, não pelo ódio puro que vê no olhar dele, mas pelo poder de decisão que ele agora tem em relação ao seu futuro… Se é que ainda há futuro.

 

- How can an assassin like you be dignified with such a beautiful lovely family… - continua o vampiro, em jeito de pensamento. - Have you ever told them about your past? About how many you killed…? – questiona, então, persistindo num inglês estupidamente poderoso e aficaz nas suas consequências.

 

Afonso esforça-se por segurar as lágrimas de puro sofrimento e angustiante saudade. Enquanto recordações indesejadas lhe trespassam fatalmente o pensamento, o seu coração, realmente atravessado por um punhal, obriga-o necessariamente a recordar o amor incondicional de quem deixou para trás, apenas aí encontrando motivo para sobreviver contra aquele vampiro frenético e os seus próprios pecados…

 

Para infortúnio do jovem, Joseph conhece cada pormenor da sua história passada, mas intenta usar a seu favor apenas alguns pormenores – até porque, o facto de Alphonzo ser genuinamente um homem bom, faz o inglês odiá-lo mais e mais.

 

Somente uma coisa consegue, por vezes, ultrapassar esse ódio eterno e sem fundamentos necessários: o orgulho. Joseph quer tão simplesmente orgulhar-se de si mesmo e, ao longo de décadas, mesmo adquirindo conhecimentos únicos a que poucos tiveram acesso e que todos julgaram perdidos, conseguiu apenas alguns instantes dessa pura satisfação.

 

O vampiro tem esperado pacientemente pelo momento em que acredita vir a sentir-se finalmente completo. Pelo momento em que usará tais conhecimentos a seu favor pleno, e não apenas para favorezinhos - como manter a mansão à vista só de alguns e prisioneiros invencíveis completamente rendidos à fragilidade.

 

Esse conhecimento – e Joseph sabe! - nem o maior prodígio actualmente conhecido pode adivinhar existir. Qualquer um dirá que Joseph conta com o desconhecido.

 

 

Espontaneamente, de uma forma que ela não controla nem sabe explicar, Luna sempre soube de tudo! Apenas nunca se atreveu a abordar o assunto…

 

É horrível… Sim, é. Mas ninguém melhor que ela, conhece a verdadeira essência do seu querido pai. Reconheceria, sem problema, se ele realmente fosse um homem mau por natureza, mesmo sendo seu progenitor… Mas não é isso que ele é! - Primeiro que tudo, Luna sente que conheceu todas as virtudes do seu pai, e os seus delitos, ao lado dessas, para ela, são Nada. – O seu pai tem uma alma genuína e bela, mas frágil, contudo…

 

Ela protegerá o pai. Responderá por ele. Sofrerá por ele. Morrerá por ele, se preciso.  

 

No mesmo instante em que tudo isto lhe passa pela cabeça, Luna mal consegue ouvir as vozes de quem se aproxima, nem sequer consegue ver bem, ou caminhar sem se sentir enjoada… - «Estarei sequer a caminhar?»

 

- Luna!? – grita Beatriz, parecendo-lhe estar demasiado longe.

 

Mas a vampira está mesmo ali, amparando-a, evitando uma queda aparatosa mesmo à entrada do hotel.

 

 

Inconscientemente, desesperado e perdido em recordações, o seu amado pai pediu ajuda, implorou aliás por algo incrivelmente maior, a única coisa que o fará crer que ainda é merecedor de viver…

 

 

Uma dor mais intensa atravessa o coração de Luna. – Ela acha que sabe o que está a acontecer, mas não se atreve a ter a certeza. Nem sequer tem tempo para pensar… - Com o impulso de dor, leva uma mão ao peito, sentindo-o estranhamente molhado e, com a outra mão agarra bruscamente a de quem se aproxima, buscando apoio.

 

Isabel fica sem reacção quando, à saída do hotel, via a sua filha praticamente sem forças e sua camisa branca esvaída em sangue… Correu para ela, correspondendo imediatamente ao seu estender de mão…

 

Já na sala de estar do “Rouge Hotel” e mais ajuda a caminho, ainda segurando firmemente a mão da sua menina, enquanto a dirige ao sofá com auxílio de Beatriz, Isabel deixa, inexplicavelmente, de sentir a sua própria, quando toca a da filha, que a aperta cada vez mais.

 

Sente que perde o controlo total do seu próprio pensamento, vivendo o de outra pessoa, através de Luna...

 

- Isabel?! – exclama Beatriz, adivinhando o sucedido.

 

- O que se passa? – surge Graça, entre a porta, rápida no auxílio.

 

– Precisamos separá-las! - conclui rapidamente a ex-líder, sem mais explicações ou hesitações. – Agora!

 

Entretanto, também Mais Antigo e Vasco se encontram ali, seguidos por David, que se aproxima por ter pressentido uma agitação fora do normal. Naturalmente, o rapaz entra em colapso ao ver Luna, tão perfeita e inocente, alheia a tudo o que a vida tem de bom, sofrendo sem aparente explicação.

 

 

Impiedoso e distante da realidade que está acima da sua presente percepção, Joseph menciona todos os nomes que Alphonzo não queria recordar, meticulosamente, um a um, com os detalhes trágicos de morte incluídos…

 

Por seu lado, secretamente, sem conseguir ignorar a malícia na voz do vampiro e a verdade pura e triste em cada palavra sua, Afonso acredita estar cada vez mais perto da loucura… Acredita que Joseph está finalmente a conseguir desviá-lo do seu controlo, e aterroriza-o ter consciência disso.

 

Mas, esse terror parece-lhe bom, revela-se perfeito… Talvez a loucura não seja assim tão má, e Joseph não contasse com isso. A verdade é que quanto mais fora de si se sente, melhor sente a presença de Luna, que parece estar mesmo ali… Tocando-lhe o coração, amando-o, curando-o…

 

Joseph pode até estar a conseguir levá-lo ao extremo. Mas esse extremo apresenta-se como o mais próximo que tem de Luna. – O que está a acontecer?

 

Afonso perde a noção do que realmente está a acontecer, a loucura que julga atingir, fá-lo sentir-se invulgarmente bem, ainda que uma dor inabalável persista, bem ali…

 

 

Mãe e filha separam-se no preciso instante em que os presentes se preparavam para o fazer, suspeitando sobre a importância dessa acção. Num impulso, ao entender que o seu acto desesperado por amparo estaria a ter consequências, Luna libertou a mão da mãe imediatamente, mas…

 

Tarde de mais! Apenas alguns instantes foram suficientes…

 

Há muito que Isabel não sentia um desgosto assim, talvez nem mesmo quando Afonso corria perigo devida, ou quando desapareceu sem deixar rasto… - Ele tinha um segredo. Um passado que nunca partilhou consigo… O que significa o amor, um casamento, um filho… quando ainda há segredos assim? Onde ficou a confiança…

 

Assassino. Ele foi um assassino. E ela nunca soube, anos depois de se conhecerem, apaixonarem, lutarem por isso… Porquê?

 

A jovem sente-se repentinamente pesada, como se a terra a puxasse com violência para si, engolindo-a. A sua boca fica seca, talvez consequência de um nó na garganta. Nem uma lágrima é capaz de libertar.

 

Vendo Isabel voltar à sua postura normal, equilibrando-se em pé por si mesma, Mais Antigo e Beatriz centram as suas atenções em Luna, cada vez mais esvaída em sangue, chorando, trémula…

 

Vasco decide levar dali David, obviamente aterrorizado, e Graça sai para ajudar Francisca a tranquilizar os hóspedes que desceram à recepção para perceber a agitação.

 

Na verdade, Isabel é um pouco ignorada, dada a condição de Luna. E ela ignora cada um deles também, desgostosa, possuída por dúvidas e raiva, imprudente.

 

Isabel sai dali. Sem ser vista, sem ver ninguém e sem qualquer plano.

 

Continua…

 

[Boa Noite! O que acharam? - Em breve publico o Episódio 53 (ainda sem título), e também um novo VIDA DE VAMP ou VampAtual.

AfonsoALPHONZOvampireLuaVERMELHA - NãoPercam.JPG

 Bjs <3 a autora]

Sobre mim

foto do autor

Pesquisa Aqui

 

Sinopse

Era uma vez um colégio cravado no coração da serra de Sintra. Entre mistérios e perigos, o regresso de uma antiga guerra e uma vida aparentemente normal de adolescentes, um vampiro com 186 anos apaixonou-se por uma humana de 17 que, apenas (e só por acaso!) é filha do mais temido caçador de vampiros de sempre, "Jaguar". Ora! Este é só o excêntrico início de todos os problemas que farão a vida valer a pena...! Deixas-te morder?!

Aviso

Todos os textos publicados neste blog são apenas uma sugestão de continuação da série de vampiros da SIC, "Lua Vermelha", ou forma de a recordar. No fundo, pretendo simplesmente homenagear a história, dando-lhe o seguimento que imagino/desejo que tivesse. Não tenho qualquer intenção de plágio, não o considero como tal, e por isso agradeço o respeito e a preservação dos direitos de autor. Afinal, isto é paixão, mas dá trabalho :D

O Blog

Nasceu em 2012, com uma sugestão (pouco profissional...:D) de 2ªtemporada para "Lua Vermelha", que teve o seu fim oficial no mesmo ano. Entretanto, por gosto da autora (Cláudia Silva) e apoio dos leitores, o Blog chegou à 3ªtemporada (melhor preparada do que a primeira...:D), havendo ainda espaço para posts de homenagem à obra de ficção e aos atores, intitulados "VIDA DE VAMP", "VampAtual" e, mais recentemente, "MEMÓRIASdeVAMPIRO". Tudo o que foi publicado anteriormente, continua online.

Respeito

Gostaria de alertar todos os leitores/seguidores do blog para a prática do respeito entre todos, para comigo (autora) e para com os criadores/produtores e atores de "Lua Vermelha". Infelizmente, comentários desagradáveis e ofensivos já foram deixados por alguns "anónimos", o que me levou à decisão de moderar a liberdade para comentar, sendo que as vossas opiniões precisam da minha permissão para serem publicadas no blog. Apenas exijo respeito! Se forem respeitáveis com as palavras, o vosso comentário aparecerá na página, garanto! Obrigado!

As Imagens

Afim de evitar algum tipo de constrangimento, creio ser importante referir que, originalmente, as imagens que utilizo no blog, referentes a "Lua Vermelha", não são de minha autoria. Os direitos pertencem à SIC, à SP Televisão, ao fotógrafo José Pinto Ribeiro... e avisem-me caso falte alguém! :D Contudo, saibam que não publico qualquer imagem sem a editar/modificar primeiro, tornando-os algo minhas e do blog. Espero que respeitem e, claro!, apreciem!

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D