Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lua Vermelha

Sugestão de 2ª e 3ª temporada por Cláudia Silva. Tipo Fanfiction.

Lua Vermelha – 3ªtemporada - Episódio 59 – “I dare you!”

Continuação…

 

Um calafrio, uma inexplicável sensação de perda ainda maior, dominam os sentidos e as forças de Isabel, que fica vidrada na figura inanimada de Filomena, num fascínio louco e assustado.

 

- O quê que tu fizeste? – grita, numa revolta súbita.

 

James observa Isabel com incredulidade, depois Filomena e novamente Isabel, jurando realmente acreditar que, no fim de contas, aquela humana acabaria morta fosse por quem fosse. Qual será afinal o problema, se aquela mulherzinha nem está completamente morta…

 

Inerte, Beatriz soube como não reagir inconsequentemente àquela primeira atitude de Isabel. Esperará. E só tomará qualquer tipo de acções quando souber realmente com quem está a lidar. Esperará. Só lhe falta descobrir se aquilo é mesmo Isabel ou se apenas uma expressão de loucura incontrolável.  

 

Respirando com dificuldade, libertando as lágrimas que parecem devolver-lhe alguma da sua real expressão, Isabel estremece num misto de emoções indecifráveis. Olha o vazio. Cai, sem forças. De joelhos no chão, tapando os olhos com as duas mãos, não querendo ver nem sentir mais nada, Isabel grita mais uma vez.

 

- O quê que eu fiz?! – clama aos soluções.

 

Endoideceu…”, pensa Beatriz consigo mesma, não com escárnio, mas com verdadeira preocupação por Isabel, e por todos os que sentirão as consequências daquele sofrimento exacerbado.  

 

Apesar de visivelmente preocupada, algo até assustada por não saber como reagir àquilo, a vampira simplesmente mantém o que prometeu a Isabel. Não porque a odeie. Não que lhe vá virar as costas… Mas nunca, nunca mais!, irá deixar que aquela miúda volte a chorar nos seus ombros como se fosse a única vítima do momento! Não depois de tudo o que foi dito, de tudo o que estava para ser feito… Não a deixará sozinha, nunca! Nem pensar! Mas a partir de agora, também não a vai proteger de tudo a todo o custo. Isabel tem de crescer. Já passou por muito. Mas a eternidade reserva-lhe coisas para as quais vai ter de estar preparada.

 

Enquanto vê aquela jovem num descontrolo agonizante e Beatriz que nem se atreve a mover, James intervém com uma descontracção fora do vulgar, altamente confiante, como se para ele fosse natural estar perto de pessoas desequilibradas. Calmo, ponderado, aproxima-se de Isabel, ajoelhando-se na sua frente.

 

- Quem és tu? – pergunta Beatriz, finalmente, quebrando o silêncio.

 

- James Arthur. Melhor amigo da desaparecida Jasmine Megan. – esclarece. – Mas poderia muito bem ser o Joseph Morgan e vocês nem teriam dado conta! – supõe, acusando com razão o risco que ambas estavam a correr.

 

Beatriz consente a indirecta. Certa de que também perdeu a noção dos riscos quando desfiou Isabel e, principalmente, de que esta está longe de ser a imagem perfeita daquilo que pode suportar, por vezes…

 

- Vim unir-me a vocês, a uma equipa que ainda me atrevo a julgar forte… – começa, observando Isabel. – Mas recuso-me a lutar ao lado de duas desequilibradas… – continua, ciente de tem toda a razão para pensar tudo e acusá-las de tudo. - …desesperadas e desunidas que pensam estar sozinhas, quando na verdade estão a passar pelo mesmo!

 

A vampira desvia a atenção dele. - É verdade que ambas merecem uma chamada de atenção… Mas não exagerem! Ou… - Revirando o olhar, repara que Caetano continua a perder sangue, que Filomena está inanimada mas bem e que o outro vampiro intrometido parece estar quase curado do golpe. Se ele recuperar entretanto, antes de os problemas se resolverem por ali, com muita pena da sua parte, terá que o magoar outra vez… Mas por Caetano, o melhor mesmo é que se apressem…

 

James segura então o rosto de Isabel, firme, obrigando-a a encará-lo, enquanto lhe desvia as mãos dos olhos. A jovem soluça, deslavada em lágrimas e com um olhar vazio, preparando-se para afastar bruscamente o desconhecido, num ataque feroz.

 

Finalmente, Beatriz reagiu ao preparar-se para impedir a agressão. No entanto, o vampiro defendeu-se com destreza, travando o gesto de Isabel e obrigando-a a olhá-lo nos olhos.

 

A verdade é que Isabel acaba por sentir um conforto fora do normal com o gesto daquele vampiro, enquanto o olhar dele lhe transmite uma inigualável segurança e serenidade, como se a loucura que ela estava prestes a cometer fosse algo realmente sem importância e perfeitamente olvidável com o tempo. A jovem, entregando-se à paz e descontracção daquele olhar profundo, acaba por desejar ouvir o que o vampiro tem para dizer.

 

- Fecha os olhos… - pede James, sério.

 

Inesperadamente, ela cede ao pedido, libertando mais uma lágrima.

 

- Concentra-te em ti mesma! – sugere, acreditando na bondade natural da jovem, ainda que tenha acabado de a conhecer nas piores circunstâncias. - Revive as tuas memórias. Pensa em quem mais amas. Imagina o mundo em que desejarias viver. Recorda as tuas mais sólidas crenças, os teus sonhos… - enumera, pausadamente.

 

À medida que ouve a voz forte e compreensiva de James, Isabel permite que um turbilhão de memórias e sentimentos ocupe o seu pensamento. Talvez fique tudo mais simples…

 

 

Acompanhando a entrada triunfal de Joseph…

 

- Seja bem aparecido! – cumprimenta Henrique, na sua inconfundível ironia trocista.

 

Joseph não se sente disponível para mais conflitos e, por isso, ignora o comentário a favor de que aquele jovem rebelde será o seu primeiro alvo da noite e a sua mais desejada conquista. Revelar as últimas verdade sobre a vida de mentira daqueles seis jovens vampiros, tal como fez com os outros. A partir desse momento, não dúvida que eles quererão ficar consigo, onde devem estar.

 

- Às vezes questiono-me: O quê que ainda estou aqui a fazer…? – começa Brian, intrigando. – Isto é uma loucura, eu sempre fui bom com planos de fuga, e vocês dão-nos mais liberdade do que seria suposto, tendo em conta que somos os vossos sequestrados… - continua o jovem, esperando que algum dos seus companheiros o apoie na provocação.

 

- Realmente, esperamos que tenhas uma boa justificação para a nossa ainda presença aqui! – continua Akira.

 

Joseph sorri maliciosamente, o que pode denunciar muita coisa. Aproximando-se, elegante, fatal, assemelhando-se a um deus, o vampiro não corresponde às provocações. Antes pelo contrário! Certo de que possui a razão e a verdade e a justiça, ele só quer juntar mais seis irmãos à sua família.

 

- Vocês estão aqui, porque algo vos incita a acreditar que devem continuar aqui! – afirma, confiante, algo severo, mas claramente escondendo algum segredo maligno.

 

Silêncio. Dúvida. Mistério.

 

- É aqui que vocês pertencem e é aqui que vai começar a vossa verdadeira história! – continua, convincente. – Querem saber porque vos trouxe eu até aqui? – questiona, suscitando interesse.

 

A curiosidade é insuportável. Henrique avança um passo, enfrentando o inglês, olhos nos olhos e sabendo que terá o apoio dos companheiros caso a sua imprudência seja ofensiva.

 

- Sê rápido! – exige.

 

Joseph responde com um sorriso. Depois, evitando dirigir-se apenas àquele rebeldezinho, mas ao grupo em questão, termina o seu discurso incitante.

 

- Just listen the truth: the most real side of your lives! – começa, conhecendo o poder do seu inglês puro e perfeito. – I dare you!

 

Continua…

 

[Boa Noite! Espero que tenham gostado do episódio, apesar da longa espera. Eu não tencionava publicá-lo só hoje, mas os imprevistos acontecem... Brevemente publico o episódio 60 :D

 

Bjs <3 a autora]

 

*vingança (correcção de erro que ocorreu na edição de imagem)

 

1 comentário

Comentar Post

Pesquisa Aqui

 

Sinopse

Era uma vez um colégio cravado no coração da serra de Sintra. Entre mistérios e perigos, o regresso de uma antiga guerra e uma vida aparentemente normal de adolescentes, um vampiro com 186 anos apaixonou-se por uma humana de 17 que, apenas (e só por acaso!) é filha do mais temido caçador de vampiros de sempre, "Jaguar". Ora! Este é só o excêntrico início de todos os problemas que farão a vida valer a pena...! Deixas-te morder?!

Aviso

Todos os textos publicados neste blog são apenas uma sugestão de continuação da série de vampiros da SIC, "Lua Vermelha", ou forma de a recordar. No fundo, pretendo simplesmente homenagear a história, dando-lhe o seguimento que imagino/desejo que tivesse. Não tenho qualquer intenção de plágio, não o considero como tal, e por isso agradeço o respeito e a preservação dos direitos de autor. Afinal, isto é paixão, mas dá trabalho :D

O Blog

Nasceu em 2012, com uma sugestão (pouco profissional...:D) de 2ªtemporada para "Lua Vermelha", que teve o seu fim oficial no mesmo ano. Entretanto, por gosto da autora (Cláudia Silva) e apoio dos leitores, o Blog chegou à 3ªtemporada (melhor preparada do que a primeira...:D), havendo ainda espaço para posts de homenagem à obra de ficção e aos atores, intitulados "VIDA DE VAMP", "VampAtual" e, mais recentemente, "MEMÓRIASdeVAMPIRO". Tudo o que foi publicado anteriormente, continua online.

Respeito

Gostaria de alertar todos os leitores/seguidores do blog para a prática do respeito entre todos, para comigo (autora) e para com os criadores/produtores e atores de "Lua Vermelha". Infelizmente, comentários desagradáveis e ofensivos já foram deixados por alguns "anónimos", o que me levou à decisão de moderar a liberdade para comentar, sendo que as vossas opiniões precisam da minha permissão para serem publicadas no blog. Apenas exijo respeito! Se forem respeitáveis com as palavras, o vosso comentário aparecerá na página, garanto! Obrigado!

As Imagens

Afim de evitar algum tipo de constrangimento, creio ser importante referir que, originalmente, as imagens que utilizo no blog, referentes a "Lua Vermelha", não são de minha autoria. Os direitos pertencem à SIC, à SP Televisão, ao fotógrafo José Pinto Ribeiro... e avisem-me caso falte alguém! :D Contudo, saibam que não publico qualquer imagem sem a editar/modificar primeiro, tornando-os algo minhas e do blog. Espero que respeitem e, claro!, apreciem!

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D