Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Lua Vermelha

Sugestão de 2ª e 3ª temporada por Cláudia Silva. Tipo Fanfiction.

Lua Vermelha – 3ªtemporada - Episódio 71 - "Verdade ou Consequência"

Continuação…

 

- Beatriz, … - inquieto pela provocação, James empenha-se em demonstrar calma e sensatez. – … ele está fragilizado e confuso, e creio que provavelmente com duas personalidades opostas! – explica. – Não se sabe o que pode acontecer! – insiste o vampiro. - O que te custa esperar? – pergunta por fim, e pela expressão que vê no rosto de Beatriz, depressa entende que só pode ter cometido um grave erro com tal afirmação.

 

Um horror pasmo expressa-se no olhar da vampira, que não quer acreditar no que acabou de ouvir.

 

- Eu ouvi bem…? – questiona James, detestando-o a ele e à sua pergunta inocente. – “O que te custa esperar?” – repete Beatriz, indignada.

 

- Desculpa, não foi isso que… - o rapaz preparava-se para assumir o erro quando a vampira o interrompeu com firmeza.

 

- Há quanto tempo não vês a tua amiga, também desaparecida? – questiona, retribuindo com alguma malvadez. – Sim. Custa-me horrores ficar aqui à espera! – conclui, vendo alguma preocupação e saudade espelhar-se nele ao relembrar a amiga.

 

A razão já ela tem, mas James continua a acreditar que deve efectivamente evitar o encontro por enquanto. Beatriz impede-o mesmo antes de ele tentar, apenas com um olhar severo, mesmo ameaçador. Depois, garante:

 

- Eu não vou causar distúrbio!

 

Beatriz vira-lhe então as costas e sai.

 

 

- E eu sou o Afonso! – apresenta-se, após Augustus. – Algo que já devem saber…

 

- Nós sabemos muitas coisas, é um facto… - pronuncia-se uma voz feminina. – Outras escolhemos não querer saber! – termina, delicada.

 

Afonso procura pela dona daquela voz agridoce, agradável mas algo suspeita. Contudo, apenas quando a jovem fala uma segunda vez, apresentando-se, é que o pai de Luna consegue identificá-la.

 

- O meu nome é Valerie. – afirma ela, num meio sorriso animado e um olhar aventureiro. – E estou ansiosa por saber tudo!

 

- Valerie! – Agustus repreende.

 

- Ficar à espera que decidas alguma coisa por todos nós, enquanto te divertes a desorientar esta criatura inocente com opiniões insinuadas sem significado… - apressa-se ela, pronunciando-se convictamente. - …, é a previsão de um próximo e longo futuro aqui! Como sempre! – numa pausa, Valerie observa Afonso sorrir ligeiramente, ainda nervoso, e por momentos imagina se a filha dele, Luna, terá algo em comum consigo. – Aliás! – prossegue. – Imagino o que será, se algum dia sairmos daqui, desta prisão espiritual na qual aceitámos viver… - comenta, preparando o sarcasmo. – Provavelmente nem saberemos como usar os nossos corpos!

 

- A verdade é que não temos nada a perder! – uma outra voz pronuncia-se em apoio, Márcio.

 

Afonso observa o seu redor, e todos os restantes acordam de uma suposta meditação. Incrivelmente parecidos com a sua filha, uma única raça.

 

- A verdade é que já perdemos muita coisa desde que estamos aqui, presos nos nossos próprios corpos, a favor de…! – reforça Valerie, persistente.

 

- Não estamos presos! – corrige Augustus, algo despeitado. - A liberdade e o poder do espírito ultrapassam as capacidades e os prazeres do corpo. Já deviam saber disso! –repreende.

 

Em silêncio, por achar mais correcto e sensato dar-lhes espaço para pensar e discutir sobre os próprios interesses, direitos e deveres, Afonso analisa cada um deles, olhando-os discretamente, ouvindo-os. Acaba por concluir que Augustus, provavelmente, é o mais velho ou mais experiente, um mentor talvez.

 

- Nós devemos a nossa vida ao Joseph. – insiste ele, com o devido respeito.

 

- E no entanto não temos vivido! – considera Valerie, cujos olhos brilham na expectativa de mudança.

 

- Concordo! – assume Márcio.

 

Afonso nota que os olhos do rapaz diferem dos dos restantes, por serem negros. Ainda assim um brilho especial torna-os amigáveis.

 

- Eu garanto que não se vão arrepender… - Afonso intervém, relembra a própria presença.

 

- Será? – Augustus impõe-se novamente.

 

- Eu sei a verdade! – assegura com honestidade. – Como poderia eu arriscar tudo se assim não fosse? Não estou em condição para brincadeiras!

 

Sentindo-se observado, como se apenas com o olhar vissem o seu interior, a sua verdade, Afonso ainda assim prossegue, sem nada a perder.

 

- Deixem-me dar-vos a saber, tudo aquilo que escolheram não saber! – termina.

 

Alguma dúvida em arriscar ainda se espelha claramente no rosto de Augustus e alguns outros Naturales. Por outro lado, há aqueles que de tão entediados que estão com a vida, anseio pela mínima hipótese de arriscar tudo.

 

- Vamos, Augustus! – incentiva, Márcio, impaciente. - Isto é como “Verdade ou Consequência!”, mas todos jogamos pela verdade enquanto apenas um arrisca sofrer as consequências! – ainda que em jeito de brincadeira, a oportunidade que Márcio insiste em confiar a Afonso é muito séria.

 

- Comparas tu um assunto sério, que nos pode levar a trair a confiança daquele que nos salvou, a um joguinho de crianças…! – repreende uma outra voz feminina, Martina, madura e autoritária, manifestando desagrado.

 

Valerie não consegue ficar sem se pronunciar perante a repreensão.

 

- E daí? E se arriscarmos mesmo tudo? Até trair a confiança do Joseph? – questiona, indignada. – A verdade é que ele tem abusado da nossa boa vontade há séculos e ainda ninguém o acusou por isso!

 

- Chega! – Augustus termina a discussão. – Se é para haver acordo, serão minhas regras! Estás disposto? – propõe a Afonso.

 

- Quais são as regras?

 

Márcio solta um sorriso sorrateiro, sentindo o pensamento de Agustus, e atrevendo-se a falar por ele.

 

- Verdade ou consequência: todos pela verdade, e apenas um perante as consequências!

 

- Aceito! – um imaginário nó forma-se na garganta de Afonso ao assumir a responsabilidade, mesmo sabendo que não poderá sair a perder, mesmo sabendo a verdade.

 

 

- Já falaste com a Beatriz? – pergunta Francisca, assumindo que não esperava ver James ali em casa tão cedo.

 

- Agora é a vez da Isabel! – praticamente ignorando a pergunta, James só deseja que o seu falhanço com a ex-líder não seja tão óbvio.

 

- É óbvio que ela o dispensou, Francisca! – comenta Isabel, falsamente divertida, impiedosa. – Provavelmente nem lhe falou, e com certeza ameaçou-o, obrigando-o a deixá-la em paz! – conclui, indisposta.

 

- Isabel, querida… - Francisca dá sempre o seu melhor para manter a ordem.

 

- Foi, mais ou menos, isso! – assume o vampiro, num sacrifício profundo da sua alma.

 

Vasco não consegue evitar rir, ainda que em silêncio. Apenas Francisca percebe, e o seu olhar desaprovador, depressa o faz agir como o líder que deseja ser.

 

- Será preciso avisar que eu tenciono fazer o mesmo?

 

Continua…

 

Entretanto...

FELIZ NATAL (PTTR com Catarina Mago)

Have Yourself a Merry Little Christmas - Rock version by Pop Turns To Rock

Sobre mim

foto do autor

Pesquisa Aqui

 

Sinopse

Era uma vez um colégio cravado no coração da serra de Sintra. Entre mistérios e perigos, o regresso de uma antiga guerra e uma vida aparentemente normal de adolescentes, um vampiro com 186 anos apaixonou-se por uma humana de 17 que, apenas (e só por acaso!) é filha do mais temido caçador de vampiros de sempre, "Jaguar". Ora! Este é só o excêntrico início de todos os problemas que farão a vida valer a pena...! Deixas-te morder?!

Aviso

Todos os textos publicados neste blog são apenas uma sugestão de continuação da série de vampiros da SIC, "Lua Vermelha", ou forma de a recordar. No fundo, pretendo simplesmente homenagear a história, dando-lhe o seguimento que imagino/desejo que tivesse. Não tenho qualquer intenção de plágio, não o considero como tal, e por isso agradeço o respeito e a preservação dos direitos de autor. Afinal, isto é paixão, mas dá trabalho :D

O Blog

Nasceu em 2012, com uma sugestão (pouco profissional...:D) de 2ªtemporada para "Lua Vermelha", que teve o seu fim oficial no mesmo ano. Entretanto, por gosto da autora (Cláudia Silva) e apoio dos leitores, o Blog chegou à 3ªtemporada (melhor preparada do que a primeira...:D), havendo ainda espaço para posts de homenagem à obra de ficção e aos atores, intitulados "VIDA DE VAMP", "VampAtual" e, mais recentemente, "MEMÓRIASdeVAMPIRO". Tudo o que foi publicado anteriormente, continua online.

Respeito

Gostaria de alertar todos os leitores/seguidores do blog para a prática do respeito entre todos, para comigo (autora) e para com os criadores/produtores e atores de "Lua Vermelha". Infelizmente, comentários desagradáveis e ofensivos já foram deixados por alguns "anónimos", o que me levou à decisão de moderar a liberdade para comentar, sendo que as vossas opiniões precisam da minha permissão para serem publicadas no blog. Apenas exijo respeito! Se forem respeitáveis com as palavras, o vosso comentário aparecerá na página, garanto! Obrigado!

As Imagens

Afim de evitar algum tipo de constrangimento, creio ser importante referir que, originalmente, as imagens que utilizo no blog, referentes a "Lua Vermelha", não são de minha autoria. Os direitos pertencem à SIC, à SP Televisão, ao fotógrafo José Pinto Ribeiro... e avisem-me caso falte alguém! :D Contudo, saibam que não publico qualquer imagem sem a editar/modificar primeiro, tornando-os algo minhas e do blog. Espero que respeitem e, claro!, apreciem!

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D