Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Lua Vermelha

Sugestão de 2ª e 3ª temporada por Cláudia Silva. Tipo Fanfiction.

Lua Vermelha – 3ªtemporada - Episódio 88 – “Quem somos” ANTEPENÚLTIMO

AFONSOeISABELamor.JPG

                                                                                                                  

Continuação…

 

Por essa Joseph não esperava. Transparece-lhe nos olhos, sem que o queira, uma terrível surpresa, e uma sensação de sobressalto e perturbação é evidente. A expressão do seu rosto, trai completamente o acento da sua voz.

 

- Um absurdo! – afirma, num tom convicto. – Não há antídoto, nem coisa alguma que vos devolva a miserabilidade de ser o que eram.

 

Luna sorri ligeiramente, cedendo à vontade de lhe invadir o pensamento.

 

- Não é bem isso que estás a pensar. – intervém, altiva. – E deixa-me que te diga que os teus pensamentos são bastante barulhentos! – garante. – Quase consigo ver tudo, como se estivesse lá, nas tuas memórias… - termina, num tom misterioso, que o deixa impotente.  

 

Ele rodopia à volta de si mesmo, a tropeçar, para conseguir encarar aqueles olhos de um azul impossível, e mostrar que não fica sem resposta.

 

Mas ela não o deixa falar.

 

- Recordas agora o dia em que festejaste sozinho o sucesso da composição. – descreve a ruiva. – O mesmo dia em que decidiste avançar com os restantes planos de salvação do mundo. – continua. – O mesmo, - insiste. - …em que começaste a preparar-te para acolher as tuas últimas cobaias, e para te vingares do meu pai.

 

Numa escolha precipitada, Morgan incentiva-os então a tomar o antídoto.

 

- Força! – grita, numa falsa gargalhada. - Tomem essa porcaria! – incita. - Vão morrer todos! – garante, rodopiando para gesticular em direcção à multidão, e gargalhando de novo. – Foi para isso mesmo que eu o criei, - inventa. - … para vos matar! Caso o meu plano falhasse, eu matava-vos a todos!

 

- Mentira! – contraria Luna, mais sábia do que ele gostaria.

 

E com alguma raiva em mente, o seu olhar azul do céu, transforma-se num buraco negro de poder incógnito, e invade violentamente a cabeça de Joseph.

 

A sensação é apavorante para o criador dos novos vampiros.

 

Joseph sente que Luna, sem dúvida uma criança com talentos acima de si própria, uma aberração da natureza, lhe rouba a privacidade e autenticidade dos seus pensamentos. E dói. Como dói! Tanto que as suas veias salientes parecem ameaçar explodir.

 

Luna diverte-se quando vê Joseph atirar-se de joelhos para o chão, numa dor insuportável. E não se inibe em expressar no rosto essa diversão.

 

- Que tal é a sensação, Joseph? Dói? – surge André, com ar cansado mas persistente, e atrás de si vêm Sandro e Akira, os três foram libertados por Aurora. – Se alguma vez tivesses tomado aquela maldita droga que nos destes… - e ajoelha-se a seu lado, puxando-lhe a cabeça para trás, pelos cabelos, para lhe falar ao ouvido. – … e te fechasses naquela maldita cave, hoje saberias que isto nada é comparado com o que mereces. – e atira-o violenta-me.

 

Joseph sente dor. Uma dor quase tão intensa como aquela que sentiu no dia em que perdeu tudo. O dia em que perdeu o pai, e perdeu a única herança de valor que este lhe deixou, porque se tornou vampiro, sem sequer poder recusar a mudança. E essa dor só desapareceu, ou quase, após o juramento que fez a si próprio e à memória do seu pai, sobre o extermínio dos vampiros.

 

O desaparecimento dessa antiga dor dependia dele mesmo, mas a que sente actualmente, não obedece à sua vontade. E numa tentativa desesperada de arrancar a dor, e novo vampiro esmurraça a própria cabeça.

 

- Ajudem-me! – pede finalmente.

 

E as suas criações ouvem o seu pedido.

 

A luta que se desenrolava em torno deles, termina subitamente. Os vampiros, que dão ainda corpo ao poder dos Naturales, aproveitam a inesperada deixa para novas investidas, mas acabam empurrados, atirados brutalmente, e ignorados. Os novos vampiros não vêm mais nada para além daquilo que Joseph lhes pede, e por isso mesmo, avançando no campo de batalha, apressam-se a atacar e destruir o círculo fechado em torno do seu líder.

 

- Augustus – chama Aurora, num murmúrio a uma entidade superior. – Acho que chegou o momento certo… - e quase gagueja.

 

- Luna, pára. – pede a ternura de Afonso, mas é Beatriz quem segura a mão da bela ruiva.

 

Luna ainda estava concentrada na dor de Joseph, e não tinha intenções de parar.

 

Rapidamente, e como se a ocasião já tivesse sido planeada, os vampiros e os Naturales dão as mãos. Todos os que lutam ao lado do grupo de Sintra, todos os que lutam por paz, por amigos e por família.

 

A energia flui com as respirações sincronizadas.

 

A grande corrente está quase formada, e os novos vampiros investem alguma violência contra eles. E gradualmente a violência torna-se mais bruta e plena de raiva, precisamente porque aquela corrente permanece imóvel, paciente.

 

- Parem! – grita Joseph para os seus, não suportando mais tamanha brutalidade e estupidez.

 

Eles param, observando, com as suas veias salientes e caninos afiados tornando-os algo superiores naquela postura de quem apenas espera para ver o que acontece.

 

- Quem somos nós?

 

É a voz endeusada de Augustos, incitando cada individualidade daquele cordão de energia a pensar no que realmente os trouxe ali, porquê que lutam, para quê que querem viver…

 

Joseph tem a cabeça ainda a latejar, e dá-se ao luxo de perder tempo a pensar nisso.

 

Em parte incerta das redondezas, por instantes, alguém com uma grande insónia pensou ver o nascer do Sol através da janela do quarto. Uma jovem adolescente, que tentava há horas adormecer enquanto lia um dos livros da saga Twilight, deixou-se ficar a observar o fenómeno. Sabia que era demasiado cedo para o nascer do Sol, embora a Lua estivesse já a descer desde o seu ponto mais alto em direcção ao horizonte, e também sabia que o Sol não nasce em Oeste. Neste impasse de raciocínio, a criatura adormeceu, longe da realidade que dominava lá fora.

 

Continua…

henrique e beatriz azevedo os tais.jpg

 

BREVEMENTE! Não percas o final desta Fanfic.

E ANTES: A sinopse do final! 

 

 

Aviso

Todos os textos publicados neste blog são do género FANFIC, ou seja, apenas uma sugestão de continuação da série de vampiros da SIC, "Lua Vermelha", ou forma de a recordar. No fundo, pretendo simplesmente homenagear a história, dando-lhe o seguimento que imagino/desejo que tivesse. Não tenho qualquer intenção de plágio, não o considero como tal, e por isso agradeço o respeito e a preservação dos direitos de autor. Afinal, isto é paixão, mas dá trabalho :D

Pesquisa Aqui

 

Respeito

Gostaria de alertar todos os leitores/seguidores do blog para a prática do respeito entre todos, para comigo (autora) e para com os criadores/produtores e atores de "Lua Vermelha". Infelizmente, comentários desagradáveis e ofensivos já foram deixados por alguns "anónimos", o que me levou à decisão de moderar a liberdade para comentar, sendo que as vossas opiniões precisam da minha permissão para serem publicadas no blog. Apenas exijo respeito! Se forem respeitáveis com as palavras, o vosso comentário aparecerá na página, garanto! Obrigado!

O Blog

Nasceu em 2012, com uma sugestão (pouco profissional...:D) de 2ªtemporada para "Lua Vermelha", que teve o seu fim oficial no mesmo ano. Por gosto da autora (Cláudia Silva) e apoio dos leitores, o Blog chegou à 3ªtemporada, havendo ainda espaço para posts de homenagem à obra de ficção e aos atores, intitulados "VIDA DE VAMP", "VampAtual" e "MEMÓRIASdeVAMPIRO". Após o final da Fanfic, em Novembro de 2017, foi anunciado pela autora que o Blog continuaria online, e que ganharia mais duas colunas: "Tudo Certo com Lua Vermelha" e "Tudo Errado com Lua Vermelha". Tudo o que foi publicado anteriormente, continua online.

Sinopse

Era uma vez um colégio cravado no coração da serra de Sintra. Entre mistérios e perigos, o regresso de uma antiga guerra e uma vida aparentemente normal de adolescentes, um vampiro com 186 anos apaixonou-se por uma humana de 17 que, apenas (e só por acaso!) é filha do mais temido caçador de vampiros de sempre, "Jaguar". Ora! Este é só o excêntrico início de todos os problemas que farão a vida valer a pena...! Deixas-te morder?!

As Imagens

Afim de evitar algum tipo de constrangimento, creio ser importante referir que, originalmente, as imagens que utilizo no blog, referentes a "Lua Vermelha", não são de minha autoria. Os direitos pertencem à SIC, à SP Televisão, ao fotógrafo José Pinto Ribeiro... e avisem-me caso falte alguém! :D Contudo, saibam que não publico qualquer imagem sem a editar/modificar primeiro, tornando-os algo minhas e do blog. Espero que respeitem e, claro!, apreciem!

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D